Vicente, autofiction of Jorge Andrade

Carlos Gontijo Rosa

Abstract


This paper concentrates on the autofiction in drama, which is a very peculiar procedure much distinct of the autofiction in the novel. This is due to the scenic representation, the actor’s presence, and other intrinsic characteristics of the dramatic genre, making that the reader or the spectator views the border between fiction and reality in a very particular way. Regarding the character Vicente, present on three plays of the Brazilian playwright Jorge Andrade and who we focus on our discussion, we propose to consider it as an autofictional character, despite its status of autobiographical by the criticism and by the author himself.

Keywords


Autoficção; Jorge Andrade; Personagem; Literatura; Dramaturgia

References


ANDRADE, Jorge. Marta, a árvore e o relógio. Perspectiva, 1970.

ANDRADE, Jorge. A escada. In: Marta, a árvore e o relógio. Perspectiva, 1970, p.339-394.

ANDRADE, Jorge. Rasto atrás. In: Marta, a árvore e o relógio. Perspectiva, 1970, p.455-524.

ANDRADE, Jorge. O sumidouro. In: Marta, a árvore e o relógio. Perspectiva, 1970, p.527-658.

ANDRADE, Jorge. Transcrição de entrevista concedida ao Centro de Documentação e Informação sobre Arte Brasileira Contemporânea. Entrevistadores: Mariângela Alves de Lima, Linneu Dias, Carlos Eugênio Marcondes de Moura. Arquivo Municipal Multimeios, Centro Cultural São Paulo, fundo Jorge Andrade. Doc TR 1823.São Paulo, 22 de outubro de 1976.

ANDRADE, Jorge. Labirinto. Paz e Terra, 1978.

ANDRADE, Jorge. Entrevista. Arquivo Municipal Multimeios, Centro Cultural São Paulo, fundo Jorge Andrade. Doc. DT 7704, s/d.

AZEVEDO, Elizabeth R.; MARTINS, Ferdinando; NEVES, Larissa de Oliveira; VIANA, Fausto (org.). Jorge Andrade 90 anos: (re)leituras – vol. 1: a voz de Jorge. TUSP/FAPESP, 2012.

BLANCO, Sergio. La autoficción: una ingeniería del yo. Revista Temporales, 2016. Disponível em https://wp.nyu.edu/gsas-revistatemporales/la-autoficcion-una-ingenieria-del-yo/, acessado em 17/03/2019.

CATALÃO, Larissa de Oliveira Neves. Aspectos formais inovadores em Jorge Andrade: em contraponto com Tchekhov. Itinerários, Araraquara, n. 34, p.33-45, jan./jun. 2012

GENETTE, Gérard. Palimpsestos: a literatura de segunda mão. Belo Horizonte: Vozes, 2010.

GOMIDE, Camilo. A vida dos outros. Ponto, n.11, p.27-31, jan-mar. 2017.

GONTIJO ROSA, Carlos. Antônio José da Silva: uma dramaturgia de convenções. Tese (Doutorado em Literatura Portuguesa) – Universidade de São Paulo. São Paulo. 2017.

GONTIJO ROSA, Carlos. Esboços autoficcionais no teatro brasileiro: a escrita do eu andradino. Urdimento, v.2, n.35, 2019, p.326-343.

Jorge Andrade. In: ENCICLOPÉDIA ITAÚ CULTURAL DE ARTE E CULTURA BRASILEIRAS. Itaú Cultural, 2019. Disponível em: . Acesso em: 24 de Mar. 2019.

LIMA, Bruno. Eu: itinerário para a autoficção. 7letras, 2015.

LIMA, Ricardo Augusto de. Intersecções entre autoficção cênica e metateatro no teatro contemporâneo: zonas crepusculares. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Estadual de Londrina. Londrina. 2017a.

LIMA, Ricardo Augusto de. Relações entre autoficção e metateatro: um exemplo na dramaturgia brasileira. Impossibilia: Revista Internacional de Estudios Literarios, n.13, p.106-130, Mayo 2017b.

MAGALDI, Sábato. Prefácio. In ANDRADE, Jorge. Labirinto. Paz e Terra, 1978.

MIRANDA. Wander Melo. Memória: modos de usar. In: CUNHA, Eneida Leal (org.). Leituras críticas sobre Silviano Santiago. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. Tradução de Jacó Guinsburg e M. Lúcia Pereira. Perspectiva, 2008.

PRADO, Décio de Almeida. A tradição como obstáculo à vida. In: ANDRADE, Jorge. A escada; Os ossos do barão. Brasiliense, 1964.

TORO, Vera; SCHLICKERS, Sabine; LUENGO Ana (eds.). La obsesión del yo: La auto(r)ficción en la literatura española y latinoamericana. Iberoamericana-Vervuert, Madrid-Frankfurt/M., 2010. Resenha de: NEGRETE, Julia Érika. Nueva Revista de Filología Hispánica (NRFH), n.59, p.618-621, 2016.

TORO, Vera; SCHLICKERS, Sabine; LUENGO Ana (eds.). La obsesión del yo: la auto(r)ficción en la literatura española y latinoamericana. Iberoamericana-Vervuert, Madrid-Frankfurt/M., 2010.




DOI: https://doi.org/10.5195/ct/2020.438

Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Copyright (c) 2020 Carlos Junior Gontijo Rosa

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.